PUBLICIDADE

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Flávio Dino anuncia Bira do Pindaré para Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Flávio Dino indicou mais um nome que irá compor a equipe de governo a partir de 1° de janeiro. O deputado Bira do Pindaré assumirá a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. O governador eleito fez o anúncio por meio de redes sociais na noite desta quinta-feira (30).

A pasta será a responsável pelo Instituto Estadual de Educação, Ciência, Tecnologia do Maranhão (Iema), que atuará em parceria com os Institutos Federais para profissionalizar maranhenses e gerar quadros qualificados no estado, um dos compromissos assumidos em campanha e que integram o Programa de Governo de Flávio Dino. Outro desafio da Secretaria será levar inclusão digital aos maranhenses, com laboratórios e internet nos municípios do estado.

BIRA DO PINDARÉ - Secretaria de Ciência e Tecnologia

Bira do Pindaré é deputado estadual reeleito para o segundo mandato. Egresso dos movimentos sociais, Bira é advogado e tem mestrado em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Foi professor Universitário no estado.

Foi bancário e presidente do Sindicato dos Bancários do Maranhão. Ocupou também o cargo de delegado regional do Trabalho. Sua atuação política e social sempre esteve ligada aos movimentos da Pastoral da Igreja Católica. Na universidade, foi dirigente do Diretório Central dos Estudantes (DCE).

Médico Marcos Pacheco será secretário de Saúde no governo Flávio Dino

O próximo secretário de Saúde do estado foi anunciado hoje (30) pelo governador eleito, Flávio Dino, através das redes sociais. O médico Marcos Pacheco comandará a organização das políticas de saúde no Maranhão a partir do dia 1º de janeiro.

Com o objetivo de implementar os compromissos assumidos pelo Programa de Governo apresentado por Flávio Dino à população maranhense, Marcos Pacheco fará parte da equipe da próxima administração. Entre as principais metas estão a humanização do atendimento, a consolidação das redes assistenciais, Urgência e Emergência e a implementação do programa Mais Médicos Estadual.

Conheça o perfil do indicado para a pasta:

MARCOS PACHECO – Secretaria Estadual de Saúde

O médico sanitarista Marcos Pacheco (UFMA /FioCRUZ) é funcionário público egresso da FUNASA cedido ao município de São Luís. Mestre e doutor em Políticas Públicas pela UFMA, é também bacharel em Direito.

Foi deputado estadual pelo PDT na legislatura de 1995-1999. Marcos Pacheco ocupou diversos cargos de gestão no Estado. Entre eles, o de secretário adjunto de Ações e Serviço de Saúde de São Luís; superintendente de Educação em Saúde e Gestão do Trabalho.

Professor universitário, é coordenador pedagógico do curso de Medicina e leciona no mestrado de Gestão em Serviços e Programas de Saúde da Universidade CEUMA, com foco em planejamento e gestão estratégica.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Rubens Pereira será um dos homens mais influentes no governo Flávio Dino


O ex-deputado Rubens Pereira é conhecido pela sua facilidade em se articular politicamente e pela habilidade em montar estratégias. São requisitos essenciais para uma carreira bem sucedida no plano político.


Rubão, como é conhecido, montou uma estratégia que possibilitou a eleição da esposa Suely Pereira em Matões. Depois coordenou a eleição do filho, Rubens Pereira Júnior como deputado estadual. A continuação do projeto se deu com a reeleição da prefeita Suely Pereira, em 2012 e neste ano a eleição de Rubens Júnior para Câmara Federal como o terceiro melhor votado, com 118 mil 115 votos.
A campanha de Rubens Júnior como candidato a deputado federal não foi das mais difíceis tendo em vista sua boa performance na Assembleia Legislativa. Isso permitiu a Rubão articular também a eleição de Flávio Dino.
Rubens Pereira esteve à frente de muitas das conversas mais importantes e que resultaram na aglutinação de forças importantes para a eleição do novo governador. Essa sua habilidade em conversar e agregar forças, o credenciou para ser um dos homens mais fortes do novo governo. O Blog apurou que dentro do projeto administrativo, Rubens Pereira terá uma função estratégica bem definida que ajudará Flávio Dino a ter uma boa governabilidade.

Do Blog Louremar Fernandes

Flávio Dino anuncia Chefe de Cerimonial do Governo do Estado

Flávio Dino anunciou mais um nome de sua equipe de governo. A cerimonialista Telma Moura de Oliveira será a Chefe de Cerimonial do Governo a partir do dia 1º de janeiro de 2015, sob a administração de Flávio Dino.

Conheça o perfil da próxima chefe de cerimonial:

TELMA MOURA DE OLIVEIRA – Chefe de Cerimonial

Com experiência em vários ramos da comunicação, Telma Moura é formada em Comunicação Social – Relações Públicas há 20 anos. Dedicou maior parte de sua atividade profissional a conduzir a Chefia de Cerimonial em órgãos públicos. Desde 2006, ocupa a chefia de cerimonial da Prefeitura de Caxias – MA.

Com experiência em redação de jornal impresso, rádio e televisão, Telma Moura é maranhense e pós-graduada em Assessoria de Imprensa e também foi responsável pela condução da assessoria de comunicação da Gerência Regional de Caxias, órgão representante do Governo Estadual.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Dilma se diz 'disposta ao diálogo' e afirma que país não está dividido

Por Nathalia Passarinho e Fernanda CalgaroDo G1, em Brasília

Em seu primeiro pronunciamento após ser confirmada como presidente reeleita do Brasil, Dilma Rousseff (PT) afirmou neste domingo (26) não acreditar que a acirrada disputa eleitoral, decidida por uma diferença de cerca de 3,4 milhões de votos, tenha “dividido” o país. A petista ressaltou ao longo dos 26 minutos de discurso que está "disposta ao diálogo" e que quer ser uma presidente "melhor" em seu segundo mandato.
“Conclamo, sem exceção, a todas as brasileiras e brasileiros para nos unirmos em favor do futuro de nossa pátria. Não acredito que essas eleições tenham dividido o país ao meio. Creio que elas mobilizaram ideias e emoções às vezes contraditórias, mas movidas por um sentimento comum: a busca por um futuro melhor”, declarou Dilma no pronunciamento realizado em um hotel de Brasília pouco mais de uma hora após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmar que ela estava matematicamente eleita.Conclamo, sem exceção, a todas as brasileiras e brasileiros para nos unirmos em favor do futuro de nossa pátria. Não acredito que essas eleições tenham dividido o país ao meio"Dilma Rousseff, em seu primeiro pronunciamento como presidente reeleita do Brasil
Aos 67 anos, Dilma venceu no segundo turno o adversário do PSDB, Aécio Neves. O resultado foi confirmado
pelo sistema de apuração do TSE às 20h27min53, quando 98% das urnas estavam apuradas e não havia mais possibilidade matemática de virada.
O TSE apurou 100% das seções às 0h13, quando faltavam poucas centenas de urnas. A petista tem 54.501.118 votos (51,64%) e o tucano, 51.041.155 votos (48,36%).
Ao final de uma campanha eleitoral marcada por ataques mútuos entre as campanhas do PT
 e do PSDB, a presidente reeleita disse que quer governar “da forma mais pacífica e democrática”. Ela destacou que está disposta a abrir um grande espaço de diálogo com todos os setores da sociedade para buscar soluções para os principais problemas do país.
"Minhas primeiras palavras são, portanto, de chamamento e união. Democracia madura e união não significam necessariamente unidade de ideias nem ação monolítica conjunta, mas, em primeiro lugar, disposição para o diálogo. Esta presidente aqui está disposta ao diálogo", enfatizou.
Condução da economia
Em meio ao discurso, Dilma fez questão de mandar um recado ao mercado financeiro, que se manteve instável nos últimos meses devido às oscilações na campanha eleitoral, especialmente nos momentos em que a petista crescia nas pesquisas.
Segundo a presidente reeleita, ela promoverá, “com urgência", ações localizadas na economia para retomar o ritmo de crescimento do país e garantir níveis altos de emprego com valorização dos salários. Dilma destacou ainda que seguirá combatendo “com rigor” a inflação e que pretende avançar no terreno da responsabilidade fiscal.
Ela ressaltou no pronunciamento que pretende estimular o diálogo e a parceria com todas as forças produtivas do país. “Mais do que nunca, é hora de cada um e todos nós acreditarmos no Brasil, ampliarmos nosso sentimento de fé nessa nação incrível a que nós temos o privilégio de pertencer e a responsabilidade de fazê-la cada vez mais próspera e mais justa.”
Reforma política
Dilma afirmou que pretende efetivar grandes projetos e que a prioridade será a reforma política. “Entre as reformas, a primeira e mais importante é a reforma política. Quero discutir esse tema profundamente com o Congresso e a população ”, disse.
Em meio às investigações de um suposto esquema de propina na Petrobras que teria sido utilizado para abastecer o caixa do PT, a presidente reeleita disse que vai combater a corrupção. “Terei o compromisso rigoroso com o combate à corrupção, propondo mudanças na legislação atual para acabar com a impunidade”, disse.
Dilma encerrou o discurso dizendo que “não fugirá da luta”. “Vamos dar as mãos e avançar nessa caminha que vai nos ajudar a construir o presente e o futuro. Brasil, mais uma vez, essa filha tua não fugirá da luta. Viva o Brasil, viva o povo brasileiro”, concluiu a presidente, sob intensos aplausos da militância petista.
Após o pronunciamento, o público presente ao evento cantou um trecho do hino nacional. A presidente acompanhou e, em seguida, passou a abraçar os aliados que estavam no palco, entre eles o ex-presidente Lula e o presidente nacional do PT, Rui Falcão.
Dança e palavras de ordem
Erguendo bandeiras e faixas do partido, cerca de 1 mil militantes do PT acompanharam o primeiro discurso de Dilma como presidente reeleita em um hotel da capital federal na noite deste domingo. Em vários momentos do pronunciamento, o público gritou palavras de ordem como “um, dois, três, Dilma outra vez”, “Lula, eu te amo”, e “É tetra campeão”, em referência aos quatro governos consecutivos do PT.
A petista teve que pedir por três vezes silêncio aos militantes para poder dar continuidade ao discurso. “Eu vou pedir um pouquinho de silêncio, porque minha voz se foi, então, estou aqui usando um restinho de voz. Peço que vocês me deem uma força.”
Empolgados com a vitória nas urnas, diversos integrantes do primeiro escalão foram festejar com Dilma a reeleição. Ao som de um ritmo de forró, os ministros Miriam Belchior (Planejamento), Arthur Chioro (Saúde), Thomas Traumann (Comunicação Social), Izabella Teixeira (Meio Ambiente), Tereza Campello (Desenvolvimento Social) e Eleonora Menicucci (Políticas para as Mulheres) dançaram animadamente antes do pronunciamento e arriscaram passos de forró (assista ao vídeo ao lado).DILMA REELEITAPresidente venceu disputa equilibrada.

  * veja o discurso após a reeleição

  * o que ela pensa sobre 16 temas

  * relembre como foi a campanha

Dilma se diz 'disposta ao diálogo' e afirma que país não está dividido

Por Nathalia Passarinho e Fernanda CalgaroDo G1, em Brasília

Em seu primeiro pronunciamento após ser confirmada como presidente reeleita do Brasil, Dilma Rousseff (PT) afirmou neste domingo (26) não acreditar que a acirrada disputa eleitoral, decidida por uma diferença de cerca de 3,4 milhões de votos, tenha “dividido” o país. A petista ressaltou ao longo dos 26 minutos de discurso que está "disposta ao diálogo" e que quer ser uma presidente "melhor" em seu segundo mandato.
“Conclamo, sem exceção, a todas as brasileiras e brasileiros para nos unirmos em favor do futuro de nossa pátria. Não acredito que essas eleições tenham dividido o país ao meio. Creio que elas mobilizaram ideias e emoções às vezes contraditórias, mas movidas por um sentimento comum: a busca por um futuro melhor”, declarou Dilma no pronunciamento realizado em um hotel de Brasília pouco mais de uma hora após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmar que ela estava matematicamente eleita.Conclamo, sem exceção, a todas as brasileiras e brasileiros para nos unirmos em favor do futuro de nossa pátria. Não acredito que essas eleições tenham dividido o país ao meio"Dilma Rousseff, em seu primeiro pronunciamento como presidente reeleita do Brasil
Aos 67 anos, Dilma venceu no segundo turno o adversário do PSDB, Aécio Neves. O resultado foi confirmado
pelo sistema de apuração do TSE às 20h27min53, quando 98% das urnas estavam apuradas e não havia mais possibilidade matemática de virada.
O TSE apurou 100% das seções às 0h13, quando faltavam poucas centenas de urnas. A petista tem 54.501.118 votos (51,64%) e o tucano, 51.041.155 votos (48,36%).
Ao final de uma campanha eleitoral marcada por ataques mútuos entre as campanhas do PT
 e do PSDB, a presidente reeleita disse que quer governar “da forma mais pacífica e democrática”. Ela destacou que está disposta a abrir um grande espaço de diálogo com todos os setores da sociedade para buscar soluções para os principais problemas do país.
"Minhas primeiras palavras são, portanto, de chamamento e união. Democracia madura e união não significam necessariamente unidade de ideias nem ação monolítica conjunta, mas, em primeiro lugar, disposição para o diálogo. Esta presidente aqui está disposta ao diálogo", enfatizou.
Condução da economia
Em meio ao discurso, Dilma fez questão de mandar um recado ao mercado financeiro, que se manteve instável nos últimos meses devido às oscilações na campanha eleitoral, especialmente nos momentos em que a petista crescia nas pesquisas.
Segundo a presidente reeleita, ela promoverá, “com urgência", ações localizadas na economia para retomar o ritmo de crescimento do país e garantir níveis altos de emprego com valorização dos salários. Dilma destacou ainda que seguirá combatendo “com rigor” a inflação e que pretende avançar no terreno da responsabilidade fiscal.
Ela ressaltou no pronunciamento que pretende estimular o diálogo e a parceria com todas as forças produtivas do país. “Mais do que nunca, é hora de cada um e todos nós acreditarmos no Brasil, ampliarmos nosso sentimento de fé nessa nação incrível a que nós temos o privilégio de pertencer e a responsabilidade de fazê-la cada vez mais próspera e mais justa.”
Reforma política
Dilma afirmou que pretende efetivar grandes projetos e que a prioridade será a reforma política. “Entre as reformas, a primeira e mais importante é a reforma política. Quero discutir esse tema profundamente com o Congresso e a população ”, disse.
Em meio às investigações de um suposto esquema de propina na Petrobras que teria sido utilizado para abastecer o caixa do PT, a presidente reeleita disse que vai combater a corrupção. “Terei o compromisso rigoroso com o combate à corrupção, propondo mudanças na legislação atual para acabar com a impunidade”, disse.
Dilma encerrou o discurso dizendo que “não fugirá da luta”. “Vamos dar as mãos e avançar nessa caminha que vai nos ajudar a construir o presente e o futuro. Brasil, mais uma vez, essa filha tua não fugirá da luta. Viva o Brasil, viva o povo brasileiro”, concluiu a presidente, sob intensos aplausos da militância petista.
Após o pronunciamento, o público presente ao evento cantou um trecho do hino nacional. A presidente acompanhou e, em seguida, passou a abraçar os aliados que estavam no palco, entre eles o ex-presidente Lula e o presidente nacional do PT, Rui Falcão.
Dança e palavras de ordem
Erguendo bandeiras e faixas do partido, cerca de 1 mil militantes do PT acompanharam o primeiro discurso de Dilma como presidente reeleita em um hotel da capital federal na noite deste domingo. Em vários momentos do pronunciamento, o público gritou palavras de ordem como “um, dois, três, Dilma outra vez”, “Lula, eu te amo”, e “É tetra campeão”, em referência aos quatro governos consecutivos do PT.
A petista teve que pedir por três vezes silêncio aos militantes para poder dar continuidade ao discurso. “Eu vou pedir um pouquinho de silêncio, porque minha voz se foi, então, estou aqui usando um restinho de voz. Peço que vocês me deem uma força.”
Empolgados com a vitória nas urnas, diversos integrantes do primeiro escalão foram festejar com Dilma a reeleição. Ao som de um ritmo de forró, os ministros Miriam Belchior (Planejamento), Arthur Chioro (Saúde), Thomas Traumann (Comunicação Social), Izabella Teixeira (Meio Ambiente), Tereza Campello (Desenvolvimento Social) e Eleonora Menicucci (Políticas para as Mulheres) dançaram animadamente antes do pronunciamento e arriscaram passos de forró (assista ao vídeo ao lado).DILMA REELEITAPresidente venceu disputa equilibrada.

  * veja o discurso após a reeleição

  * o que ela pensa sobre 16 temas

  * relembre como foi a campanha

Flávio Dino anuncia delegado Jefferson Portela como próximo Secretário de Segurança Pública

Em entrevista à rádio Educadora AM, Flávio Dino anunciou na manhã desta segunda (27) o próximo secretário de Segurança Pública do Maranhão. O delegado Jefferson Portela comandará a pasta a partir de 1º de janeiro, durante a administração de Flávio Dino à frente do Poder Executivo.

À frente da pasta, Jefferson será responsável pela implantação de políticas para prevenção de crimes, combate ao tráfico e à criminalidade no Maranhão. Em seu programa de Governo, Flávio Dino apresentou como proposta para a área a implantação do programa Pacto pela Vida –com a articulação de políticas de Estado entre todos os poderes para reduzir os índices de criminalidade no estado.

domingo, 26 de outubro de 2014

No segundo turno voto em Dilma

Heitor Scalambrini Costa

Professor da Universidade Federal de Pernambuco

Nestes últimos 20 anos, o país passou por diferentes experiências no governo federal que precisam ser comparadas. Fica muito difícil não olhar para o retrovisor, para escolher o candidato, nesta ferrenha e polarizada disputa no 2º turno das eleições presidenciais de 2014.

No poder de 1994/2002 a política neoliberal implementada pelo Partido da Social Democracia Brasileira - PSDB deixou graves seqüelas. A economia era comandada pelo neoliberalismo. Seus gestores tentavam nos convencer que o mercado daria conta das grandes e graves questões nacionais. Quem não se lembra dos cortes nos gastos públicos em obediência irrestrita aos fundamentos do Fundo Monetário Internacional - FMI? Na redução dos subsídios e no aumento dos juros? Como diziam na época, tudo para atrair a confiança do capital financeiro, e assim com novos investimentos alavancar o crescimento econômico.

Basta um pouco de memória, ou mesmo consultar os jornais e revistas da época, para se lembrar do desemprego que dobrou nos 8 anos de FHC/Aécio, trazendo a fome e a miséria para a população. Os escândalos de corrupção, aas privatizações, o sucateamento dos serviços públicos, a inflação alta e o aparelhamento do Estado,

Para comentar apenas o que se passou em duas áreas, de meu maior envolvimento profissional, vejam bem o que aconteceu em relação à política energética e na educação superior. A política neoliberal adotada com relação à questão energética foi catastrófica. Neste período a energia elétrica, até então considerada um serviço essencial, foi transformada em mera mercadoria. Ocorreu a mercantilizarão deste que é um bem essencial na vida das pessoas, a energia. O desmantelamento e sucateamento do Ministério de Minas e Energia, responsável pelas diretrizes no setor energético brasileiro acabou levando ao racionamento de energia de 2001/2002. Neste setor também se dizia que o mercado resolveria tudo. E deu no que deu. O povo brasileiro jamais esqueceu.

Na área da educação superior outra grande catástrofe. Quem não se lembra do legado do ministro Paulo Renato, Ministro da Educação do governo FHC/Aécio?. Durante oito anos nenhuma nova universidade federal foi criada. Nenhum concurso público para professores universitários foi realizado. Deixou um déficit de 7.000 professores. Mas se isto não fosse suficiente, vejam agora o que ocorre em São Paulo governado pelo partido político do senhor Aécio. As universidades paulistas mais bem classificadas no ranking mundial estão falidas. O governo do estado é responsável sim, pois é o governador quem indica os reitores. Muitas vezes indicando aqueles menos votados pela comunidades universitária.

Não voto em candidatos do Partido dos Trabalhadores para presidente da república, desde o primeiro mandato do presidente Lula, que ao assumir como primeiro ato, enviou ao Congresso Nacional a polêmica e mal vista, Reforma da Previdência, retirando direitos dos trabalhadores. Um total contra-senso, visto que inúmeras reformas estruturais, a meu ver, eram prioritárias. Foi emblemática esta ação que acabou sinalizando como seria o governo petista.

A desilusão foi grande, pois filiado ao PT naquela época, acreditava que com a ascensão ao poder central seria possível iniciar um processo de implantação de uma nova forma de fazer política em nosso país. Rompendo assim com tudo que estava arraigado de mais retrogrado e atrasado.

Mesmo nestes anos todos fazendo oposição as políticas e ações dos governos petistas, nesta hora decisiva para o Brasil não poderia me furtar de escolher entre um lado e outro. Pensei até em anular o voto. Mas ao analisar toda a historia recente, e estar convicto que depois do dia 26 de outubro estarei na oposição a esquerda daquele(a) eleito(a) para governar o país, declaro que votarei para presidente em Dilma 13.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Rodrigo Maia será Procurador Geral do Estado do Governo de Flávio Dino

Na manhã desta segunda (13), Flávio Dino anunciou mais um nome que fará parte de sua equipe de Governo. O procurador de carreira Rodrigo Maia deverá chefiar a Procuradoria Geral do Estado, órgão responsável pela representação judicial e consultoria jurídica do Maranhão, exercendo a defesa legítima dos interesses do Estado.

Na semana passada, Dino anunciou outros dois nomes de sua equipe – Marcelo Tavares (Casa Civil) e Márcio Jerry (Articulação Política e Assuntos Federativos).

RODRIGO MAIA ROCHA – Procuradoria Geral do Estado

Procurador do Estado do Maranhão há 10 anos, Rodrigo Maia tem carreira ligada à defesa da Advocacia Pública. Formado em Direito pela Universidade Federal do Maranhão e aprovado por concurso público em 2005, Maia seguiu carreira na Procuradoria do Estado e compôs, por dois mandatos, o Conselho Estadual da Ordem dos Advogados do Brasil.

É professor da Escola Superior de Advocacia na OAB-MA e foi vice-presidente da Comissão de Advocacia Pública da Ordem. É pós-graduado em Ciências Criminais (CEUMA) e pós-graduando em Direito Ambiental (UFPR). Compôs por três mandatos consecutivos o Conselho Estadual de Direitos Humanos.

Sua função atual é de secretário municipal de Meio Ambiente da capital, ocupando a diretoria da Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (ANAMMA) desde agosto de 2013 e membro do Plenário e da Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos do Conselho Nacional de Meio Ambiente, ligado ao Governo Federal.

Assessoria de Imprensa

Governo Flávio Dino: Emap será administrada por Ted Lago

Mais um anúncio da composição de Governo foi feito por Flávio Dino nesta segunda (13). Para dirigir a Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), o governador eleito indicou o empresário Ted Lago – que possui destacada atuação internacional nos setores Empresarial e Social.

Com o intuito de ampliar a funcionalidade do Porto do Itaqui como vetor de desenvolvimento econômico e social do Estado e integrá-lo ao cenário mundial, Ted Lago assumirá o comando da Emap a partir de 1º de janeiro de 2015.

TED LAGO – Empresa Maranhense de Administração Portuária

Administrador de Empresas com pós-graduação em Planejamento e Finanças (PUC-RJ) e em Gestão e Processos Industriais na Deomens Schule (Munique – Alemanha), Ted Lago atua no ramo empresarial maranhense.

Através do Instituto de Cidadania Empresarial do Maranhão (do qual é um dos membros fundadores), tem forte participação na área de Desenvolvimento Econômico e Social com foco na melhoria da qualidade de vida no estado. Foi Presidente do Conselho Deliberativo do ICE-MA por 6 anos.

Ted é membro da Fundação Avina, instituição que reúne líderes destacados no trabalho pelo Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social da América Latina.

Assessoria de Imprensa...

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

PCdoB maranhense chama militância para campanha por Dilma no 2º turno

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) no Maranhão divulgou nota convocando seus militantes a “a seguir na luta pela reeleição da presidenta Dilma no dia 26 de outubro”. A nota reafirma o apoio da legenda à reeleição da presidenta com o lema “No Maranhão, 65 é Dilma”. A nota também comemora a vitória de Flávio Dino na eleição do último domingo como “a mais expressiva vitória popular e democrática do país”. Leia abaixo a íntegra:

Nota da Comissão Política Estadual do PCdoB/MA:

NO MARANHÃO, 65 É DILMA!

A Comissão Política estadual do PCdoB/MA, reunida nesta quinta-feira, 9 de outubro, comemora junto com o povo maranhense a mais expressiva vitória popular e democrática do país, com a eleição de Flávio Dino ao governo do Maranhão com 63,5% dos votos. Essa vitória se inscreve na história do estado e do Brasil, pondo fim à dominação da mais antiga oligarquia política estadual, para levar progresso social e desenvolvimento humano à brava gente maranhense. Essa vitória é também um orgulho para a legenda dos comunistas, que alcança a primeira eleição de um governador em seus longos 92 anos de vida.

O Partido também foi amplamente vitorioso para a eleição ao parlamento maranhense e à Câmara dos Deputados. Elegemos três deputados estaduais, Othelino Neto, Raimundo Cutrim e Marco Aurélio. Para deputado federal alcançamos a vitória com Rubens Junior, que obteve 118.115 votos, o terceiro mais votado de todo o Maranhão. Vale destacar e saudar também a expressiva votação que os candidatos a deputado estadual e a deputado federal obtiveram, sendo todos decisivos para a construção dessa vitória.

As urnas também revelaram o amplo apoio do povo maranhense à reeleição da presidenta Dilma Roussef, que obteve em nosso estado 2,1 milhões de votos no primeiro turno. O PCdoB, que desde o início sempre esteve ao lado da presidenta Dilma, faz um chamado a toda sua militância a não sair das ruas e lutar para ampliar a votação de Dilma no Maranhão neste segundo turno. As votações consagradoras de Flávio Dino para o governo e Dilma para a presidência no primeiro turno do Maranhão confirmam que essa é a aliança que o povo escolheu para empreender as mudanças que o nosso estado tanto precisa.

Os comunistas maranhenses, que tiveram papel protagonista na vitória sobre a oligarquia que dominou por 50 anos o nosso estado, chamam a atenção do povo do Maranhão para a disputa de rumos que se configura nesse segundo turno das eleições presidenciais: Dilma representa o projeto com as aspirações legítimas do povo brasileiro, governou para os mais pobres e deu atenção especial ao norte e nordeste do país. Merece mais um mandato para inaugurar um novo ciclo de desenvolvimento no país, com mais emprego, educação de qualidade, saúde pública e distribuição de renda.

A comissão política estadual do PCdoB conclama portanto toda a sua militância a seguir na luta pela reeleição da presidenta Dilma no dia 26 de outubro.

No Maranhão 65 é Dilma!

Marcio Jerry

Presidente do PCdoB-MA

--PCdoB São Luís Assessoria de Imprensa

Flávio Dino apresenta secretários da Casa Civil e Articulação Política

Em comunicado pelas redes sociais, o governador do Maranhão eleito do Maranhão fez o primeiro anúncio de quem deve compor seu secretariado. As pastas da Casa Civil e da Articulação Política e Assuntos Federativos serão ocupadas, respectivamente, pelo deputado estadual Marcelo Tavares e pelo jornalista Márcio Jerry. Ambos fizeram parte da coordenação da campanha que elegeu Flávio Dino com 63,52% dos votos.

O anúncio foi feito pelas redes sociais oficiais do próprio Flávio Dino, afirmando ainda que ficará sob a coordenação de Marcelo Tavares a condução da Equipe de Transição Administrativa – responsável pelo diagnóstico da conjuntura estadual e preparação para os primeiros dias de Governo em 2015.

Márcio Jerry organizará o diálogo com os partidos políticos, as lideranças sociais e municipais.

Outros nomes que vão compor o primeiro escalão do futuro governo de Flávio Dino serão anunciados ao longo dos próximos dias.

Veja o comunicado oficial de Flávio Dino:

“Comunico à sociedade maranhense as seguintes indicações para nossa equipe de governo, a ser nomeada e empossada no dia 1º de janeiro de 2015:

1 - MARCELO TAVARES - Casa Civil

2 - MÁRCIO JERRY - Articulação Política e Assuntos Federativos Informo que a Equipe de Transição Administrativa, a ser designada, será coordenada por MARCELO TAVARES. Tal equipe fará os contatos com o atual Governo, bem como irá elaborar diagnóstico sobre a conjuntura do Estado, abrangendo obras, contratos, serviços e situação financeira. O diálogo com os partidos da coligação, com outros partidos políticos, lideranças municipais e com a sociedade civil, abrangendo consultas sobre a formação da equipe de governo, será coordenado por MÁRCIO JERRY. São Luís, 10 de outubro de 2014. FLÁVIO DINO Governador eleito do Maranhão”

Assessoria de Imprensa Rafaela Vidigal (98) 9115-8136 Aline Louise (98) 9194-8808 Camila Rocha (98) 8198-5686

Flávio Dino apresenta secretários da Casa Civil e Articulação Política

Em comunicado pelas redes sociais, o governador do Maranhão eleito do Maranhão fez o primeiro anúncio de quem deve compor seu secretariado. As pastas da Casa Civil e da Articulação Política e Assuntos Federativos serão ocupadas, respectivamente, pelo deputado estadual Marcelo Tavares e pelo jornalista Márcio Jerry. Ambos fizeram parte da coordenação da campanha que elegeu Flávio Dino com 63,52% dos votos.

O anúncio foi feito pelas redes sociais oficiais do próprio Flávio Dino, afirmando ainda que ficará sob a coordenação de Marcelo Tavares a condução da Equipe de Transição Administrativa – responsável pelo diagnóstico da conjuntura estadual e preparação para os primeiros dias de Governo em 2015.

Márcio Jerry organizará o diálogo com os partidos políticos, as lideranças sociais e municipais.

Outros nomes que vão compor o primeiro escalão do futuro governo de Flávio Dino serão anunciados ao longo dos próximos dias.

Veja o comunicado oficial de Flávio Dino:

“Comunico à sociedade maranhense as seguintes indicações para nossa equipe de governo, a ser nomeada e empossada no dia 1º de janeiro de 2015:

1 - MARCELO TAVARES - Casa Civil

2 - MÁRCIO JERRY - Articulação Política e Assuntos Federativos Informo que a Equipe de Transição Administrativa, a ser designada, será coordenada por MARCELO TAVARES. Tal equipe fará os contatos com o atual Governo, bem como irá elaborar diagnóstico sobre a conjuntura do Estado, abrangendo obras, contratos, serviços e situação financeira. O diálogo com os partidos da coligação, com outros partidos políticos, lideranças municipais e com a sociedade civil, abrangendo consultas sobre a formação da equipe de governo, será coordenado por MÁRCIO JERRY. São Luís, 10 de outubro de 2014. FLÁVIO DINO Governador eleito do Maranhão”

Assessoria de Imprensa Rafaela Vidigal (98) 9115-8136 Aline Louise (98) 9194-8808 Camila Rocha (98) 8198-5686

terça-feira, 7 de outubro de 2014

7 de outubro de 2014 | Governador, Notícias, Novidades Flávio Dino participa de festa da vitória no município de Caxias

meionorte.com/
O governador eleito do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), obteve 1.877.064 votos, isto é, 63,52% do eleitorado. Condição que o elegeu em primeiro turno. A primeira festa da vitória do novo governador aconteceu em Caxias.
A cidade é considerada ‘berço político’ do novo governador. Foi em Caxias que Flávio Dino foi lançado para a primeira campanha eleitoral vitoriosa para deputado federal em 2006.
O chamado ‘padrinho’ político do novo governador é o deputado estadual eleito para o quinto mandato Humberto Coutinho, pai do prefeito de Caxias, Léo Coutinho.
Flávio se reuniu com militantes e lideranças políticas numa casa de eventos da cidade. Na ocasião, o governador eleito discursou em agradecimento afirmando que vai tirar o Maranhão do atraso e das páginas policiais.
Em seguida, o novo governador e comitiva seguiram para o Parque da Cidade, onde aconteceu um show da banda Aviões do Forró para mais de 30 mil pessoas.
foto 1

foto 2

foto 3

foto 4


foto 5

domingo, 5 de outubro de 2014

Charge eletrônica: tchau…


foto 3
foto 1
foto 2

Relação dos deputados federais eleitos do Maranhão; veja


votação 1
vagas – PEN/PMN/PHS/PSC/PTdoB
André Fufuquinha
Júnior Marreca
votação 2
7 vagas – PMDB/DEM/PTB/PV/PRB/PR
Hildo Rocha
Cleber Verde
Sarney Filho
Pedro Fernandes
Victor Mendes
João Marcelo
Alberto Filho
votação 3
2 vagas – PRP/PSL/PSDC/PTN/PRTB
Juscelino Filho
Aluísio Mendes
votação 4
1 vaga – PDT/PTC/PROS
Weverton Rocha
votação 5
5 vagas – PPS/SD/PP/PCdoB/PSDB/PSB
Eliziane Gama
Rubens Pereira Júnior
Zé Reinaldo
Waldir Maranhão
João Castelo
blog do luis pablo

Veja a relação dos deputados estaduais eleitos do Maranhão


Abaixo o Blog do Luis Pablo divulga a relação dos candidatos eleitos ao cargo de deputado estadual pelo Estado do Maranhão.
Confira:
apuração 9
16 vagas – PMDB/PR/DEM/PTB/PV/PTdPSC/PSC/PRTB
Josimar de Maranhãozinho
Andrea Murad
Antonio Pereira
Roberto Costa
Edilázio Júnior
Nina Melo (sub judice)
Léo Cunha
Max Barros
Adriano Sarney
Stenio Rezende
Rigo Teles
Rogério Cafeteira
César Pires
Vinicius Louro
Fábio Braga
Hemetério Weba
apuração 1
3 vagas – PRB
Glalbert Cutrim
Ana do Gás
Júnior Verde
apuração 2
3 vagas – PMN/PEN/PHS/PSD
Eduardo Braid
Carlinhos Florencio
Ricardo Rios
apuração 3
9 vagas – PDT/PSB/PCdoB/PSDB
Humberto Coutinho
Bira do Pindaré
Neto Evangelista
Fábio Macedo
Raimundo Cutrim
Valério Macedo
Professor Marco Aurélio
Sérgio Frota
Othelino Neto
apuração 4
2 vagas – PT
Zé Inácio
Francisca Primo
apuração 5
1 vaga – PTC
Edivaldo Holanda
apuração 6
3 vagas – PPS/PP/PROS/SD/
Welligton do Curso
Dr. Levi Pontes
Cabo Campos
apuração 7
3 vagas – PTN/PRP/PSDC
Sousa Neto
Alexandre Almeida
Paulo Neto
apuração 8
2 vagas – PSL
Edson Araújo
Graça Paz
Por Luís Pablo 

Flávio Dino é eleito governador do Maranhão

flavio19h25 – O candidato da coligação “Todos pelo Maranhão”, Flávio Dino (PCdoB), já pode-se considerar eleito, hoje (5), o novo governador do Maranhão. Ele é o primeiro governador eleito pelo PCdoB em todo o Brasil.
Com 82% das urnas apuradas, o comunista garantiu a vitória em 1º turno, com 1,5 milhão de votos, ele está 766 mil votos à frente do senador Edison Lobão Filho (PMDB), candidato da coligação “Pra Frente, Maranhão”.
Como faltam apenas 751 mil votos a serem apurados, Dino já pode ser considerado o novo governador do Maranhão.
Antonio Pedrosa (PSol), Saulo Arcangeli (PSTU), Zeluis Lago (PPL) e Prof. Josivaldo (PCB) aparecem na sequência.
O senador Edison lobão Filho já convocou coletiva para agora à noite.
Para o Senado, a disputa segue acirrada entre Roberto Rocha (PSB), que lidera com 200 mil votos à frente de Gastão Vieira (PMDB).

Flávio Dino é eleito governador do Maranhão

Flávio Dino ganha eleição no Maranhão
Flávio Dino ganha eleição no Maranhão
Com apenas 82% da apuração de votos, o comunista Flávio Dino já está eleito como o novo governador do Maranhão, disparado com 1.579.398.
Na história política do PCdoB, Dino é o primeiro governador do Brasil. Flávio Dino é o segundo candidato a vencer o grupo Sarney nas eleições. O primeiro foi o ex-governador Jackson Lago, que disputou com a atual governadora Roseana Sarney.
A vitória de Flávio Dino sepulta o império da família Sarney, que apostava em um segundo turno com seu candidato Edinho Lobão.
Daqui a pouco o resulto final….
Blog do Luis Pablo

77% dos votos apurados no Maranhão

Com 77% dos votos apurados no Maranhão, Flavio Dino tem 64,27% dos votos, Lobão fica com 32,86% dos votos. Para o Senado federal, Roberto Rocha 52,54% dos votos e Gastão Vieira com 43,42%.

Apuracao eleicoes 2014

GOVERNADOR

Com 35,78% das urnas apuradas
Flavio dino esta na frente com 709,692 votos 66,17% e o segundo colocado Edinho Lobao 340,973 31,79%.
Roberto rocha 570,016 54,60%
Gastao Vieira 444,014 42,53

sábado, 4 de outubro de 2014

Em clima de plebiscito, eleição pode marcar fim da era Sarney no MA

Folha de São Paulo/ Blog do John Cutrim
“Nos últimos 50 anos, transformaram o Maranhão numa monarquia. Nessa nova história, o povo vai ser rei”, diz o narrador, enquanto um garçom fictício deixa um palácio com uma coroa na bandeja para aclamar anônimos nas ruas.
A imagem abre a última propaganda de TV de Flávio Dino (PC do B) e resume o tom da campanha que ameaça encerrar a hegemonia do grupo político do senador José Sarney (PMDB-AP), à frente do Estado em 44 dos últimos 48 anos.
“É para representar a saída da oligarquia, 50 anos cansou”, dizia na última sexta (3) o garçom Igor Yorimar, 25, com uma mala de viagem tomada por adesivos do senador Lobão Filho (PMDB), candidato da situação. Yorimar se disse filiado ao PC do B há dois dias.
O advogado Dino, 46, ex-deputado federal e presidente da Embratur no governo Dilma, tem 59% dos votos válidos, segundo Ibope desta sexta-feira (2).
Na liderança desde o início da campanha, é favorito para vencer no primeiro turno diante dos 38% de Lobão Filho, apoiado pela governadora Roseana Sarney (PMDB), no poder desde 2009.
Com passagens pelo Senado desde 2008 na suplência do pai, o ministro Edison Lobão (Minas e Energia, PMDB), Lobão Filho, 50, virou candidato em abril, quando o secretário de Infraestrutura de Roseana, Luis Fernando Silva, desistiu da disputa após não decolar naspesquisas.
Diz ter recebido um telefonema da governadora na cama dum hospital, história que repetiu a cada comício para tratar a candidatura como uma “missão divina”.
No palanque, assumiu a defesa do legado dos Sarney, com ataques ao discurso de “mudança” proposto por Dino e ao “comunismo” do rival.
PLEBISCITO
Não conseguiu, contudo, evitar o predomínio do clima de plebiscito na campanha, impulsionado pela campanha do PC do B. “Impusemos essa pauta. Não quisemos discutir o governo Roseana, mas o cansaço pelo tempo do grupo deles no poder”, afirmou o gaúcho Juliano Corbellini, marqueteiro de Dino.
“No Maranhão com roubo estamos 20 pontos na frente. Imagina na urna”, dizia Corbellini no Twitter na quinta (2).
Encenado ou não, o otimismo do marqueteiro contrastava com o tom de Lobão Filho após seu último comício, na quinta, em Pinheiro, terra de Sarney. “Eu não queria ser governador, mas não podia deixá-los [aliados] órfãos”, disse à Folha, após se despedir de correligionários.
Com imposição da direção nacional petista, o PT do Maranhão se coligou a Lobão Filho, mas a aliança desagradou a uma ala local, que se dedicou a desgastar a candidatura peemedebista.
Dino foi quem mais gastou na campanha: R$ 5,6 milhões, de acordo com a segunda prestação parcial. Lobão gastou R$ 3,3 milhões. As duas campanhas declararam mais receitas do que gastos.
Com uma coligação de 18 partidos, Lobão teve 9min31s em cada bloco de propaganda. Dino, com nove partidos, teve 5min59s.
O jornal “O Estado do Maranhão”, fundado por Sarney, deu tratamento preferencial à candidatura de Lobão Filho. Divulgou diariamente, e sempre com enfoque positivo, suas agendas de campanha e pronunciamentos, enquanto criticou propostas de Dino e se referia a ele como “comunista”.
DENÚNCIAS
Na reta final, a campanha do PMDB apostou em denúncias contra Dino. A primeira, há duas semanas, foi um relato em vídeo de um detento do presídio de Pedrinhas, palco de barbáries que minaram a gestão Roseana.
O preso acusou Dino de planejar um assalto, mas no dia seguinte à divulgação disse ter recebido ofertas de benefícios para citar o candidato. As imagens foram reproduzidas pela TV Difusora (afiliada do SBT), de Lobão Filho, e o diretor do complexo de Pedrinhas foi afastado.
Pouco depois, a Polícia Federal fez uma revista num avião que esperava Lobão Filho para embarcar no interior do Estado.
Agentes vasculharam aeronave e tripulação após denúncia anônima de dinheiro a bordo. Nada foi encontrado, e Lobão Filho e o PMDB nacional gritaram -o vice-presidente Michel Temer e o presidente do Senado divulgaram notas de repúdio.
No episódio mais recente, Roseana apresentou uma gravação que a campanha do PMDB citou como prova de que o presidente do Tribunal de Contas do Estado cooptaria prefeitos para Dino.
O presidente do TCE negou, e Roseana, de até então participação discreta na disputa, disse ter feito a gravação numa ligação ao chefe do TCE que caíra em espera, quando percebeu que ele tratava de “política de forma não convencional”.